SBICafé
Biblioteca do Café

Descrição técnico-econômica de sistemas familiares de produção de café orgânico no norte pioneiro do Paraná

Show simple item record

dc.contributor.author Hugo, Renzo Gorreta pt_BR
dc.contributor.author Soares, Dimas pt_BR
dc.contributor.author Passini, João José pt_BR
dc.contributor.author Miranda, Márcio pt_BR
dc.contributor.author Llanillo, Rafael Fuentes pt_BR
dc.contributor.other Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café pt_BR
dc.date 2003-10-08 09:36:08.263 pt_BR
dc.date.accessioned 2015-01-14T13:44:21Z
dc.date.available 2015-01-14T13:44:21Z
dc.date.issued 2003 pt_BR
dc.identifier.citation Hugo, Renzo Gorreta; Soares Júnior, Dimas; Passini, João José; Miranda, Márcio; Fuentes Llanillo, Rafael. Descrição técnico-econômica de sistemas familiares de produção de café orgânico no norte pioneiro do Paraná. In: Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil e Workshop Internacional de Café & Saúde, (3. : 2003 : Porto Seguro). Anais. Brasília, DF : Embrapa Café, 2003. (447p.), p. 375. pt_BR
dc.identifier.other 166689_Art427 pt_BR
dc.identifier.uri http://www.sbicafe.ufv.br/handle/123456789/1542
dc.description Trabalho apresentado no Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil (3. : 2003 : Porto Seguro, BA). Resumos. Brasília, D.F. : Embrapa Café, 2003. pt_BR
dc.description.abstract Apesar de responder atualmente por cerca de 0,5% da produção mundial, a agricultura orgânica vem concretizando-se como alternativa tecnológica e econômica concreta para um número crescente de agricultores em todo o Brasil. Não obstante o crescimento atualmente verificado, diferentes estudos apontam tendências crescentes para o consumo de produtos orgânicos no decorrer dos próximos anos. No Paraná, o cultivo do café orgânico encontra-se entre aqueles que mais avançam entre os agricultores que adotam este modelo de produção, envolvendo na safra 2001/2002 cerca de 120 agricultores com 741ha de área cultivada. Atento a esta situação, o Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) implantou com apoio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) as Redes de Referências para a Agricultura Familiar Orgânica, nas quais com a utilização de metodologia específica, busca-se a partir do acompanhamento, análise e intervenção em propriedades representativas, conhecer e aprimorar alguns dos principais sistemas familiares de produção orgânica em uso no Estado. O presente trabalho apresenta alguns dos indicadores técnico-econômicos referentes ao sistema de produção de café orgânico praticado na região do Norte Pioneiro paranaense a partir das informações da Rede de Referências composta por sete unidades de produção agrícola situadas naquela região. Utilizando-se para coleta de dados técnicas de Diagnóstico Rápido Participativo (DRP) foi possível descrever o sistema estudado bem como apontar suas restrições tecnológicas e seus possíveis encaminhamentos. O cultivo do café orgânico no Norte Pioneiro remonta ao ano de 1993, quando foram feitas as primeiras visitas a produtores de Minas Gerais já iniciados nesta atividade. O sistema de produção predominante combina a produção cafeeira com milho e pecuária, sendo composto em sua maioria por Produtores Simples de Mercadorias, com no máximo 10ha de Superfície Agrícola Útil, 4,20ha de lavoura cafeeira e 1,42 Eqüivalente-homem de mão-de-obra familiar disponível. Tal mão-de-obra mostra-se suficiente para atender as operações de setembro a maio, visto que o manejo com adubação verde ou roçadas, não exige maiores dispêndios laboriais. No caso da colheita alguma contratação é feita, porém pouco onerando os produtores. As benfeitorias e as lavouras cafeeiras correspondem a 78% do capital total disponível, sendo que existe falta de equipamentos necessários para maior eficiência no manejo da cultura como rolos-faca e roçadeiras. Os produtores com melhores níveis de produtividade baseiam-se no sistema adensado e possuem apresentam manejo do solo adequado, seja com adubação verde ou com manejo do mato. Todos os produtores analisados apresentaram margens brutas positivas na produção de café, com níveis entre R$ 0,88 a 1,83/kg e rendas líquidas positivas variando de R$ 0,49/kg (R$29,40/sc 60 kg) até R$ 1,64/kg (R$98,40/sc 60 kg). Há de se considerar que pelo fato de serem produtores produzindo de forma orgânica, porém, em fase de conversão quanto à certificação, os preços de vendas alcançados foram similares aos do mercado convencional que geralmente são inferiores em 25 a 40% aqueles praticados para o produto orgânico. Ao analisar-se a performance econômica global das diferentes propriedades, observa-se que quatro destas não apresentaram na safra 2001/2002 sistemas de produção economicamente sustentáveis, encontrando-se com níveis de renda líquida por equivalente-homem abaixo daqueles aceitos como indicadores de reprodução simples, indicando fragilidades que exigem um re-ordenamento dos fatores produtivos. Isto fica evidenciado ao verificar que as três propriedades com níveis de renda líquida acima da reprodução simples são justamente aquelas que se apóiam em outras culturas como leite e apicultura. Na continuidade do projeto serão estudadas possibilidades de diminuição das despesas operacionais globais (DOT) e de aumento das receitas, seja nas atividades atuais, seja na perspectiva, bem analisada, de diversificação. pt_BR
dc.description.sponsorship Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.subject Café orgânico Agricultura familiar Sistemas de produção Referências econômicas pt_BR
dc.subject.classification Cafeicultura::Economia e política agrícola pt_BR
dc.title Descrição técnico-econômica de sistemas familiares de produção de café orgânico no norte pioneiro do Paraná pt_BR
dc.type Artigo pt_BR

Files in this item

Files Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre o SBICafé

Browse

My Account