SBICafé
Biblioteca do Café

Qualidade de café expresso em condições de campo

Show simple item record

dc.contributor.author Pino, Francisco Alberto pt_BR
dc.contributor.author Vegro, Celso Luis Rodrigues pt_BR
dc.contributor.other Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café pt_BR
dc.date 2003-10-08 11:26:26.607 pt_BR
dc.date.accessioned 2015-01-14T13:44:22Z
dc.date.available 2015-01-14T13:44:22Z
dc.date.issued 2003 pt_BR
dc.identifier.citation Pino, Francisco A.; Vegro, Celso L.R. Qualidade de café expresso em condições de campo. In: Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil e Workshop Internacional de Café & Saúde, (3. : 2003 : Porto Seguro). Anais. Brasília, DF : Embrapa Café, 2003. (447p.), p. 385-386. pt_BR
dc.identifier.other 166689_Art442 pt_BR
dc.identifier.uri http://www.sbicafe.ufv.br/handle/123456789/1558
dc.description Trabalho apresentado no Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil (3. : 2003 : Porto Seguro, BA). Resumos. Brasília, D.F. : Embrapa Café, 2003. pt_BR
dc.description.abstract Um modelo logit é utilizado para calcular a probabilidade de obtenção de uma xícara satisfatória de café expresso na cidade de São Paulo. Os critérios utilizados para definir uma bebida satisfatória devem ser aqueles facilmente reconhecíveis por consumidores sem conhecimento especializado, como o tempo de percolação, a presença e a persistência do creme, bem como a marca do café. Para estimar os parâmetros do modelo, uma amostra probabilística estratificada de estabelecimentos que servem café foi especialmente delineada. Em cada estabelecimento amostrado, um questionário foi aplicado para obter informação a respeito do operador da máquina de expresso e outras condições. Também, uma xícara da bebida foi adquir4ida para medir os critérios de qualidade. Finalmente, três consumidores de cada estabelecimento foram selecionados aleatoriamente para se conhecer seus próprios critérios para avaliar a bebida. Mostra-se que, ainda que um café de boa qualidade seja essencial para conseguir uma bebida de boa qualidade, o fator crítico mostrou ser o capital humano, a saber, aquele que opera a máquina e prepara o expresso. Máquinas automáticas também se mostraram capazes de produzir uma bebida satisfatória. Entretanto, mostra-se que os consumidores usualmente não consideram esses indicadores de qualidade ao escolher o local onde vão beber café. pt_BR
dc.description.sponsorship Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.subject Café expresso Qualidade Consumidor final Modelo logit pt_BR
dc.subject.classification Cafeicultura::Economia e política agrícola pt_BR
dc.title Qualidade de café expresso em condições de campo pt_BR
dc.type Artigo pt_BR

Files in this item

Files Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre o SBICafé

Browse

My Account