SBICafé
Biblioteca do Café

Efeitos de adubação nitrogenada de solo e folha, no inverno e verão, em cafeeiros em produção

Show simple item record

dc.contributor.author Freitas, Rupert Barros de pt_BR
dc.contributor.author Alves, José Donizeti pt_BR
dc.contributor.author Magalhães, Marcelo Murad pt_BR
dc.contributor.author Guimarães, Paulo Tácito Gontijo pt_BR
dc.contributor.author Nascimento, Marilza Neves do pt_BR
dc.contributor.other Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café pt_BR
dc.date 2003-10-15 11:20:04.343 pt_BR
dc.date.accessioned 2015-01-14T13:44:27Z
dc.date.available 2015-01-14T13:44:27Z
dc.date.issued 2003 pt_BR
dc.identifier.citation Freitas, Rupert Barros de; Alves, José Donizeti; Magalhães, Marcelo Murad; Guimarães, Paulo Tácito Gontijo; Nascimento, Marilza Neves do. Efeitos de adubação nitrogenada de solo e folha, no inverno e verão, em cafeeiros em produção. In: Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil e Workshop Internacional de Café & Saúde, (3. : 2003 : Porto Seguro). Anais. Brasília, DF : Embrapa Café, 2003. (447p.), p. 412. pt_BR
dc.identifier.other 166689_Art477 pt_BR
dc.identifier.uri http://www.sbicafe.ufv.br/handle/123456789/1607
dc.description Trabalho apresentado no Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil (3. : 2003 : Porto Seguro, BA). Resumos. Brasília, D.F. : Embrapa Café, 2003. pt_BR
dc.description.abstract A literatura tem mostrado que para o cafeeiro, a substituição da adubação nitrogenada no solo pela nutrição via foliar não traz benefício adicional. Essas pesquisas, na maioria das vezes, são realizadas utilizando-se adubos como a uréia, nitrato de potássio ou cloreto de potássio na concentração de 2%. Os cálculos teóricos mostram que essa quantidade de nitrogênio aplicada é insuficiente para suprir a necessidade do cafeeiro. Uma vez que estudos anteriores mostraram que a pulverização do cafeeiro com nitrato de potássio em concentrações que variaram de 5 a 30% não provocou queima nas folhas, objetivou-se neste trabalho, verificar o efeito da adubação de 100 g de N/ano, divididos em três épocas (período de frio e/ou calor) em três modos de aplicação (folha e/ou solo) no desenvolvimento da planta, na atividade da redutase do nitrato, no teor foliar de clorofila de nitrogênio e na produção. As plantas que receberam a nutrição foliar na época de frio (abril, maio, junho, julho e agosto) ou de calor (outubro, novembro, dezembro, janeiro e fevereiro), foram pulverizadas com 10 g de N a cada 15 dias, enquanto que aquelas que foram pulverizadas nas épocas de frio e de calor o intervalo de aplicação foi mensal. Cada pulverização resultou na aplicação de solução de nitrato de potássio a 25%. A adubação via solo consistiu da aplicação de 10 g de N nas mesmas épocas citadas. Os tratamentos referentes à adubação combinada de solo e folha consistiram da aplicação de 2 g de N na folha e de 8 g de N no solo, nas mesmas épocas. A combinação de épocas e modo de aplicação totalizaram então, nove tratamentos que foram distribuídos em blocos ao acaso com quatro repetições de cinco plantas. Quarenta e oito horas após a aplicação dos tratamentos folhas e raízes foram coletadas e lavadas para as determinações da atividade da redutase do nitrato e teor de clorofila. O crescimento dos ramos, folhas e número de nós foi estimado mensalmente. No período de avaliação entre abril de 2002 a fevereiro de 2003, observou-se para todos os tratamentos, um acúmulo de solutos na superfície foliar na forma de um "pó branco" o que provocou uma ligeira queima das folhas que não ultrapassou a 10% da área foliar total da planta e não interferiu no teor de clorofila e na subseqüente brotação de folhas. A aplicação do nitrogênio via solo ou folha no período de frio, não aumentou a atividade da redutase do nitrato na folha. Este fato demonstra o efeito negativo das baixas temperaturas naquele período. Por outro lado, ao contrário da aplicação deste elemento no solo, a pulverização com o nitrogênio no verão estimulou a atividade foliar da enzima neste período. De maneira geral, a aplicação do nitrogênio no inverno ou no verão não afetou a atividade da redutase do nitrato nas raízes. Quanto ao desenvolvimento vegetativo, observou-se que a pulverização do nitrogênio no inverno, proporcionou uma maior retomada no crescimento de folhas, ramos e número de nós no período de verão. Em relação ao modo de aplicação do nitrato, foi verificado que a pulverização de inverno promoveu efeitos positivos no desenvolvimento da planta. A estes resultados serão acrescentados o dados de produção que aparentemente, não foram afetados pela pulverização foliar do nitrogênio em altas concentrações. Apesar da inviabilidade econômica de um grande número de pulverizações conforme as que foram realizadas neste experimento, os dados permitem concluir que, eventualmente, uma ou mais pulverizações com nitrato de potássio a 25% podem substituir eficientemente a adubação nitrogenada no solo. pt_BR
dc.description.sponsorship Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.subject Café Adubação nitrogenada Nitrogênio Pulverização Redutase do nitrato pt_BR
dc.subject.classification Cafeicultura::Solos e nutrição do cafeeiro pt_BR
dc.title Efeitos de adubação nitrogenada de solo e folha, no inverno e verão, em cafeeiros em produção pt_BR
dc.type Artigo pt_BR

Files in this item

Files Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre o SBICafé

Browse

My Account