SBICafé
Biblioteca do Café

Estudo da variabilidade espacial de fósforo e potássio, em solo de cerrado sob cafeicultura, submetidos a dois sistemas de manejo - Ano agrícola 2002-2003 II

Show simple item record

dc.contributor.author Casarotti, Daniel da Costa pt_BR
dc.contributor.author Gontijo, Ivoney pt_BR
dc.contributor.author Borges, Elias Nascentes pt_BR
dc.contributor.author Jorge, Ricardo Falqueto pt_BR
dc.contributor.author Costa, Adriana Monteiro da pt_BR
dc.contributor.author Souza, Juliano Rodrigues de pt_BR
dc.contributor.author Guimarães, Ednaldo Carvalho pt_BR
dc.contributor.other Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café pt_BR
dc.date 2003-10-16 09:34:41.997 pt_BR
dc.date.accessioned 2015-01-14T13:44:28Z
dc.date.available 2015-01-14T13:44:28Z
dc.date.issued 2003 pt_BR
dc.identifier.citation Casarotti, Daniel da Costa; Gontijo, Ivoney; Borges, Elias Nascentes; Jorge, Ricardo Falqueto; Costa, Adriana Monteiro da; Souza, Juliano Rodrigues de; Guimarães, Ednaldo Carvalho. Estudo da variabilidade espacial de fósforo e potássio, em solo de cerrado sob cafeicultura, submetidos a dois sistemas de manejo - Ano agrícola 2002-2003 II. In: Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil e Workshop Internacional de Café & Saúde, (3. : 2003 : Porto Seguro). Anais. Brasília, DF : Embrapa Café, 2003. (447p.), p. 416-417. pt_BR
dc.identifier.other 166689_Art483 pt_BR
dc.identifier.uri http://www.sbicafe.ufv.br/handle/123456789/1617
dc.description Trabalho apresentado no Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil (3. : 2003 : Porto Seguro, BA). Resumos. Brasília, D.F. : Embrapa Café, 2003. pt_BR
dc.description.abstract Nas áreas de cerrado cultivado há mais tempo com café é comum a ocorrência de problemas químicos de solo que interferem diretamente no desenvolvimento e capacidade produtiva das plantas. Este trabalho objetivou aplicar a metodologia geoestatística para avaliar a variabilidade espacial do Pe K em solo de cerrado, atualmente cultivado com cafeeiro, sob dois sistemas de manejo, visando observar a necessidade de adoção de novos procedimentos de amostragem e indicar práticas de manejo que possibilitem aumento de produtividade com maior sustentabilidade agrícola. Para isto foram demarcadas na Fazenda Experimental da EPAMIG, Patrocínio -MG, duas malhas amostrais de 45 x 55m, contendo cada uma 45 pontos, uma com o manejo de controle de plantas daninhas com herbicida de contato e a outra com gradagens intensivas nas entrelinhas. A área do experimento apresenta topografia leve ondulada e o solo é um Latossolo Vermelho Amarelo distrófico textura argilosa. O cafeeiro cultivado é o Mundo Novo IAC 376/19 com 15 anos de idade, plantado no espaçamento de 3,5 x 1,0 m (uma planta por cova.) Os pontos de amostragem foram georeferenciados com o uso do GPS (Sistema de posicionamento global) e corresponderam às regiões do meio da rua, "saia" do cafeeiro e linha de tráfego do trator, eqüidistantes em 5 x 8 m, nas profundidades de 0-20 e 20-40 cm. Nestes pontos foram coletadas amostras para análises químicas de P e K segundo metodologia da Embrapa. Os resultados foram submetidos à análise geoestatística, obtendo-se os modelos de variabilidade espacial dos atributos do solo, por meio dos semivariogramas, e realização da estimativa por krigagem, para o mapeamento dos atributos químicos estudados. A utilização da geoestatística e o mapeamento das variáveis estudadas revelaram-se importantes ferramentas para tomada de decisões em sistemas de uso do solo com a cultura do cafeeiro, visando, sobretudo a sustentabilidade do ecossistema. Os sistemas de manejo induziram respostas diferenciadas na variabilidade espacial dos atributos químicos estudados, para o sistema de manejo com herbicida, o modelo de melhor ajuste foi o de efeito pepita pura de K nas duas profundidades amostradas, indicando a não dependência entre os pontos; já para o P na profundidade de 0 a 20cm o modelo esférico melhor se ajustou, evidenciando dependência espacial entre os pontos avaliados, mas na profundidade de 20 a 40cm o modelo ajustado de linear sem patamar, indica que o tamanho da malha não foi suficiente para determinar o alcance dos pontos. Para o manejo com grade o modelo de melhor ajuste para o P nas duas profundidades amostradas foi o efeito pepita pura; já o K apresentou um modelo de linear sem patamar na profundidade de 0 a 20cm e um efeito pepita pura na profundidade de 20 a 40cm. Assim um melhor planejamento da amostragem de solo para análises, interpretação dos dados de laboratório e a correção da adubação para a cultura cafeeira em questão, deve ser reavaliado, em termos quantitativos e qualitativos. pt_BR
dc.description.sponsorship Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.subject Café Variabilidade espacial Manejo do solo Nutrição de plantas Fósforo Potássio Cerrado Minas Gerais pt_BR
dc.subject.classification Cafeicultura::Solos e nutrição do cafeeiro pt_BR
dc.title Estudo da variabilidade espacial de fósforo e potássio, em solo de cerrado sob cafeicultura, submetidos a dois sistemas de manejo - Ano agrícola 2002-2003 II pt_BR
dc.type Artigo pt_BR

Files in this item

Files Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre o SBICafé

Browse

My Account