SBICafé
Biblioteca do Café

Ecofisiologia do cafeeiro sombreado com macaúba em sistemas agroflorestais

Show simple item record

dc.contributor.advisor Santos, Ricardo Henrique Silva
dc.contributor.author Ferreira, Rodrigo de Paula
dc.date.accessioned 2018-07-05T12:34:09Z
dc.date.available 2018-07-05T12:34:09Z
dc.date.issued 2017-10-19
dc.identifier.citation FERREIRA, R. P. Ecofisiologia do cafeeiro sombreado com macaúba em sistemas agroflorestais. 2017. 65 f. Dissertação (Mestrado em Agroecologia) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa-MG. 2017. pt_BR
dc.identifier.uri http://www.sbicafe.ufv.br/handle/123456789/10017
dc.description Dissertação de mestrado defendida na Universidade Federal de Viçosa. pt_BR
dc.description.abstract O gênero Coffea possui duas espécies mundialmente importantes, a Coffea caneplora e a Coffea arabica, mais conhecidos como café conilon e café arábica. Da mesma forma que acontece com a produção mundial, o café arábica corresponde a mais de 70% da produção brasileira, sendo o Estado de Minas Gerais o maior produtor e responsável por mais de 50% da produção nacional. As alterações nos padrões climáticos vêm preocupando produtores e pesquisadores no mundo inteiro, não sendo diferente para a cultura do café. Com aumento da temperatura, a maior parte das lavouras em Minas Gerais terá que migrar para regiões mais altas com clima mais ameno, incluído a cultura do café. Dentre as variáveis climáticas que afetam o crescimento e a produção do café, destacam-se como principais a variação da temperatura média anual, a disponibilidade de luz e a disponibilidade hídrica. Uma das alternativas para minimizar os efeitos das mudanças climáticas sobre a produção de cafeeiros pode ser o cultivo em sistemas agroflorestais (SAFs). Dentre os benefícios desta modalidade de cultivo pode se destacar as melhores condições micro ambientais do sub-bosque, incluído a temperatura, a umidade do solo e umidade relativa do ar. Entretanto, em sistemas agroflorestais a escolha das espécies a serem cultivadas deve ser baseada na compatibilidade entre os componentes do sub-bosque e o arbóreo, evitando a competição exacerbada por água, nutrientes e radiação solar. Desse modo o objetivo do presente trabalho foi avaliar os efeitos do cultivo consorciado macaúba – cafeeiro em seu desempenho fisiológico e produtivo do cafeeiro (Coffea arabica) em diferentes distâncias. Para isso foi avaliada a radiação fotossinteticamente ativa (RFA), trocas gasosas, fluorescência, crescimento e produtividade dos cafeeiros. No geral a diferença microclimática proporcionada pelo componente arbóreo interferiu nos padrões de fotossíntese dos cafeeiros no SAF, sendo que nos cafeeiros na fileira próxima como distante da macaúba, houve uma similaridade na fotossíntese líquida. Entretanto as variações na produção de cafeeiro possivelmente estão relacionadas, em maior peso com a fenologia de crescimento das plantas do que necessariamente com as trocas gasosas. As palmeiras associadas com os cafeeiros proporcionam redução na entrada de luz sobre o dossel das plantas no sub-bosque nos períodos Chuvoso/Quente e Seco/Frio. As fileiras dos cafeeiros mais distantes das palmeiras tiveram maior crescimento em altura e diâmetro do dossel, enquanto que cafeeiros a pleno sol/monocultivo apresentaram maior número de nós e diâmetro do caule. No primeiro ano de avalição da produção, após a recepa, cafeeiros mais distantes das macaúbas apresentaram uma produção 3 vezes maior que cafeeiros nas fileiras próximas das macaúbas e a pleno sol/monocultivo. Mas é necessário observar o segundo ano da produção dos cafeeiros devido a bianualidade da produção nesta espécie. Cafeeiros no período Seco/Quente e Frio/Seco apresentaram valores semelhantes em relação a trocas gasosas, com valores menores que os verificados com o período Chuvoso/Quente. Já no período Chuvoso/Quente os cafeeiros a pleno sol/monocultivo apresentaram maiores valores de fotossíntese que cafeeiros associados com as palmeiras tanto próximo como distante da macaúba, devido as melhores condições edafoclimáticas. pt_BR
dc.description.abstract The genus Coffea has two world-class species, Coffea caneplora and Coffea arabica, better known as Conilon coffee and Arabica coffee. As with world production, Arabica coffee accounts for more than 70% of Brazilian production, with Minas Gerais being the largest producer and accounting for more than 50% of national production. Changes in weather patterns have worried producers and researchers worldwide, and are no different for coffee crop. As temperature increases, most of the crops in Minas Gerais would have to migrate to higher, milder climate regions, including coffee crop. Among the climatic variables that affect coffee growth and production, the average annual temperature, light availability and water availability are the main ones. One of the alternatives to minimize the effects of climate change on coffee production may be to grow them in agroforestry systems. Among the benefits of this modality of cultivation can be highlighted the better conditions of the micro-environmental conditions of the understory, including temperature, soil moisture and relative humidity. However, in agroforestry systems the choice of tree species must be based on the compatibility between the components of the understorey and the coffee crop, avoiding strong competition by water, nutrients and solar radiation. In this way, the objective of this work was to evaluate the effects of macaúba - coffee intercropping on the physiological and productive performance of coffee (Coffea arabica) cultivated at different distances. For this, it was evaluated the photosynthetically active radiation (PAR), gas exchange, fluorescence, growth and productivity of coffee trees. The microclimatic differences resulted from the tree component changed the photosynthesis patterns of Coffee in the agroforestry system. Coffee trees located either near or distant from the macaúba tree presented a similar net photosynthesis. Nevertheless, the differences in coffee yield are possibly more associated with differences on crop phenology than with differences in gas exchange. The palm trees associated with coffee resulted in reduction on light availability to coffee canopy along both the rainy/hot and dry/cold seasons. Coffee trees more distant from macaúba palm trees presented greater both high and canopy diameter, while coffee trees under full sunlight/monocrop presented greater number of nodes and stem diameter. On this first year after the low pruning, coffee trees cultivated more distant than macaúba trees presented a yield three times higher than the ones located near the palm trees and under full sunlight. Nevertheless, it is necessary to check the yield in the next years due to the biannually growth and yield of coffee crop. Coffee trees presented similar gas exchange results on the dry/hot and dry/cold season, but lower than the values on the rainy/hot season. In this last season the coffee trees under full sunlight/monocrop showed higher photosynthesis than the ones cultivated either next of distant of the palm trees, due to better soil and climate conditions. pt_BR
dc.format 65 folhas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Universidade Federal de Viçosa pt_BR
dc.subject Café - cultivo pt_BR
dc.subject Sistema agroflorestais pt_BR
dc.subject Trocas gasosas pt_BR
dc.subject Fotossíntese pt_BR
dc.subject.classification Cafeicultura::Sistemas agroecológicos e orgânicos pt_BR
dc.title Ecofisiologia do cafeeiro sombreado com macaúba em sistemas agroflorestais pt_BR
dc.title.alternative Ecophysiology of coffee shaded with macaúba in agroflorestry systems pt_BR
dc.type Dissertação pt_BR

Files in this item

Files Size Format View
Dissertacao_Rodrigo de Paula Ferreira.pdf 848.1Kb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre o SBICafé

Browse

My Account